sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

"Novas Anizades"

As novas amizades
São incertas
Lutamos para que seja eterna
Mas nem sempre isso é possível

Os valores pessoais inflacionaram
As pessoas se corrompem
Dizem coisas sem pensar
Não sabendo no que pode dar
Antes se chatear com o novo
Do que com o velho

O novo é inexperiente 
E não sabe o que faz
O velho é sábio
E sabe o que faz


Que saudades de minha infância
Brincadeiras e rodinhas
Historias e Historinhas
Rolava ate uma amarelinha
Tudo em nome da alegria

Hoje as pessoas estão se distanciando
E um disse me disse
Muita idiotice
Reflexo disso
E que a geração de hoje
Tem o computador como amigo de infância
Não acho má idéia
Antes uma maquina pensante
Do que um ser que pode te aborrecer a todo instante

"As Verdades de um Sábio"


Um velho
Que não aparenta idade
Mostra a toda mocidade
Coisas nobres
Que não se vê mais na cidade
Muito menos no campo
Pioro na s faculdades



O que antes era compartilhado
Hoje é vendido
Não por falta
Mas por ganância
Todos querem enriquecer
Em nome de Luxo, Fama e Poder

Dai a Cezar o que é de césar
Assim vos ensinei
Mas vejo de que nada adiantou
Deram o que era de Cezar a igreja
Em nome de Deus ela aceitou
Todos aplaudiram
Livre arbítrio
Maldita idéia



Era pra tudo ser diferente
O oposto
Limitaria em pessoas mais contentes
A santa ceia mostra isso
Dividimos tão pouco com muitos
Não lembram
"Façam isso em memória de mim"


Esta mania de Evolução
É Lei do cão
Stress, ansiedade e depressão
É policia matando cidadão(Lembrando o que ocorreu com o estrangeiro esta semana)
Como se fosse ladrão
Desigualdade e obsessão
É rico virando ladrão

A que ponto chegaram
Já são outra espécie
Filho não obedece, manda
O Pai ouve e executa
É a criatura mandando no criador
Que horror

Agora clamam em meu nome
Pedindo Paz e compaixão
Quem mandou eu inventar
Posso reclamar ou devo aguardar
Pois o Juízo Final
Esta por chegar.

Brunoo Paulista
Bruno Moreira.
25/07/2012
03:17